O Motorista de Táxi

Oct 20, 2017

Imagens

Esta é uma história interessante sobre quando a Coreia do Sul era uma ditadura. E ela caiu. E uma nova estava a caminho. O filme de Hun Jang dá praticamente todos os passos para entendermos o que aconteceu com a Coreia do Norte. Mas esta é a do Sul. Então ainda há esperança.

Baseado em fatos reais, a história conta a amizade entre um taxista e um repórter internacional. Ambos vão para a zona mais intensa de manifestações de estudantes contra o novo regime autoritário que se aproxima. Um, viúvo, quer apenas conseguir dinheiro para sustentar sua filha. Outro é um jornalista em seu ideal mais alto: conseguir avisar as pessoas do mundo sobre os acontecimentos reais que são acobertados pelo governo. Juntos eles irão encontrar outros personagens, mas nenhum muito relevante.

A essa altura, se eu dissesse que esté é um dramalhão, claro que você imaginaria que vai haver mortes em câmera lenta momentos de heroísmo, companheirismo, ação impossível, etc. Um filme coreano com um pouco de farofa. Afinal de contas, esta é uma luta extremamente fora de moda: o bem contra o mal. O mal usa terno e não esboça sorriso. O bem vamos descobrindo aos poucos nas ações de cada uma das pessoas empenhada em ter um pouco de humanidade.

Wanderley Caloni, 2017-10-20. O Motorista de Táxi. Taeksi Woonjunsa (South Korea, 2017). Dirigido por Hun Jang. Escrito por Yu-na Eom. Com Kang-ho Song (Man-seob / Kim), Thomas Kretschmann (Peter), Hae-jin Yoo (Tae-sul / Hwang), Jun-yeol Ryu (Jae-sik / Gu), Hyuk-kwon Park (Reporter Choi), Gwi-hwa Choi, Daniel Joey Albright (BBC Reporter David John). IMDB. Texto completo próximo ou após a estreia no CinemAqui.