O Vingador do Futuro

Chega a ser impressionante a capacidade do diretor Len Wiseman (da “saga” Anjos da Noite/Underworld) em empregar sequências de ação descerebradas mas completamente extasiantes. Durante as quase duas horas de projeção somos jogados em uma realidade sci-fi não apenas verossímil, mas igualmente surreal. A direção de arte de Patrick Banister (Sucker Punch, Mandando Bala, Blade: Trinity) recria o mundo do original com Arnold Schwarzenegger no mesmo clima arrebatador que os efeitos visuais da época causaram.

Estamos em um mundo futurista onde apenas duas regiões do mundo são habitáveis: 1) a colônia, onde residem os trabalhadores que diariamente se dirigem para o outro local, 2) a união britânica, a ditadura da vez. A fotografia de Paul Cameron (Deja Vu) difere com competência esses dois mundos, com uma chuva que não para de cair no submundo (lembrando/referenciando Blade Runner) e um céu límpido e com tons azuis no mundo “civilizado”. É interessante notar também as diferentes etnias da ex-região próxima Ásia/Rússia, que parecem conviver inertes aos possíveis choques culturais. Da mesma forma, o filme tem um quê de contemporâneo, refazendo mais uma vez a temática da guerra dos países desenvolvidos contra o mundo terrorista. O que cabe como uma luva no caso de Total Recall, já que o mocinho não é exatamente do bem.

Porém, os debates filosóficos da história ficam quase sempre em segundo plano, pois o principal, a essência do que torna o novo Vingador extremamente eficiente é a reciclagem do nosso velho sistema supressor de crenças que permite que vejamos histórias absurdas no Cinema e mesmo assim compremos a ideia. Nesse caso, a ideia é de que tudo aquilo não passa de um sonho, uma memória implantada na mente de Douglas Quaid (Colin Farrell) e que pode e não deve fazer sentido em muitos momentos, pelo seu absurdo e pelo seu tom maniqueísta da realidade. Estamos falando de clichês de histórias de espiões, e eles existem aos montes e em alto e bom tom para todos notarem. Porém, o realismo de algo até então desconhecido é o que garante o benefício da dúvida, além de mais pra frente o leque de opções ter se aberto um pouco mais.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2012-09-05 imdb