Oito Mulheres e Um Segredo

Nov 18, 2018

Oito Mulheres e Um Segredo entretém como seus antecessores, graças mais ao seu elenco que está em harmonia de interpretações. Aliás, a parte mais inacreditável do filme é entender como tantas mulheres juntas conseguem se dar bem.

Talvez a resposta esteja no passado. A personagem de Sandra Bullock é irmã do personagem de George Clooney, que até onde se pode dizer está morto e enterrado. Mas Bullock age para se vingar do seu ex que a colocou na prisão (interpretado pelo insosso Richard Armitage), e isso é bem feminino.

Bullock é a melhor protagonista da série até agora. Ela é focada e com um objetivo em mente. Sabemos que ela é picareta, mas com estilo. Sabemos que ela tem um golpe arquitetada por anos e adoraríamos entender os detalhes. Por isso prestamos atenção.

A reunião de suas parceiras segue essa mesma lógica, mas não com o mesmo fervor. É mais ou menos Vin Diesel em Velozes e Furiosos escalando capangas que viram uma família temporária. A boa notícia é que essas capangas não são ninguém menos que algumas das atrizes mais talentosas de Hollywood no momento, incluindo a fabulosa Cate Blanchett.

Conseguindo unir atrizes mais famosas como Hathaway (que está ótima) e outras nem tão famosas assim, como a asiática Awkwafina que diverte como trombadinha de luxo, “Oito Mulheres” é filme de golpe de primeira linha até suas reviravoltas darem espaço para incoerências e contradições no roteiro de Gary Ross Jogos Vorzes e Olivia Milch, que tenta soar inteligente mas é bobo e sem graça.

O “golpe” em questão envolve uma jóia de 150 milhões de dólares que é trancado a 50 metros no subsolo em um cofre de segurança máxima da Cartier e que por algum motivo é entregue a uma celebridade (Hathaway) para ser exibido em um evento com centenas de convidados. Há uma trava no colar que impede que qualquer um o tire do pescoço da diva, e é aí que toda a história começa a desabar.

Por outro lado este é o mais suntuoso dos filmes, e toda a luxúria, desde a escolha da estilista por trás do vestido de Hathaway até a exibição privada das joias da nobreza de sei-lá-de-que-época, assim como a participação de celebridades do show business, acrescenta um tom necessário para sempre estarmos do lado dessas meninas e seu golpe, pois é inadmissível que tanta futilidade saia ilesa de lá.

Imagens e créditos no IMDB.
Wanderley Caloni, 2018-11-18. EUA, 2018. Escrito por Gary Ross e Olivia Milch baseado em história de Ross e personagens de George Clayton Johnson e Jack Golden Russel. Dirigido por Gary Ross. Com Sandra Bullock, Cate Blanchett, Anne Hathaway, Helena Bonham Carter, Mindy Kaling, Rihanna, Awkwafina, Sarah Paulson, Richard Armitage. Filmes de golpe.