Olhando Para As Estrelas

2017/11/04

Olhando para as Estrelas era um curta-metragem do mesmo diretor, Alexandre Peralta. Deveria continuar assim, ou ser expandido no mínimo. Porém, este longa possui bons momentos, que entretem. Perde-se um pouco da intensidade da história nos primeiroa quinze minutos. O que aconteceu? Talvez os grandes desafios das protagonistas não existam. Elas são bailarinas de sucesso, já. Qualquer tentativa de estereotipá-las cai na mesma armadilha de todas as pessoas preconceituosas do mundo.

Melhor enxergar as conquistas. Geyza Peralta e Thalia Macedo são dançarinas de balém de sucesso. Lutarem e praticaram muito por isso. Geyza 17 anos! O motivo de tanta dedicação é uma limitação das duas: elas não enxergam. Ambas perderam a vista após o nascimento, de problemas diversos. Uma professora se predispôs a criar um grupo de dança em uma instituição para cegos, e hoje esse grupo é a primeira e única instituição do mundo de balé para deficiente visuais.

O documentário de Peralta explora todos os detalhes envolvendo essas duas protagonistas, mas apesar de interessantíssimo, não consegue encontrar o tom correto para demonstrar as dificuldades inerentes da prática de balé quando não se enxerga nada. A coreografia, os movimentos, a orientação. Tudo deve ser muito, muito difícil. Mas vemos apenas as dançarinas treinando os mesmos movimentos um milhão de vezes segurando no bastão.

A rotina de Geyza, feita no começo do longa, é um dos seus melhores momentos, e não o show final. Isso porque há muito mais de realismo em seu dia-a-dia, saindo de casa 6:15 da manhã e treinando até não poder mais o sonho de sua vida. Ao mesmo tempo, as provocações dos colegas de Thalia é um “atrativo” à parte, pois nos permite entender quais pequenas complicações de convivência ainda existe para quem é cego. Thalia é ótima em escrever, e isso é visto de passagem pelo filme.

O documentário possui tons poéticos em lidar com a questão, além de uma narrativa interessante, que insere os assuntos na cidade e em seus ambientes. Tudo de maneira estilizada, embora pouco criativa. De qualquer forma, funciona pelo nível de competência de Peralta. O que não funciona é nunca termos o motivo de existir esta história.

★★★☆☆ Olhando para as Estrelas. Brazil, 2016. Direction: Alexandre Peralta. Script: Melissa Rebelo Kerezsi. Alexandre Peralta. Cast: Geyza Pereira (Geyza). Fernanda C. Bianchini Saad (Fernanda Bianchini). Thalia Macedo (Thalia). Cesar Albuquerque (Cesar). Sandra Macedo (Sandra). Edition: Alexandre Peralta. Cinematography: Alejandro Ernesto. Guan Xi. Soundtrack: Samuel Jones. Alexis Marsh. Runtime: 90. Gender: Documentary. Category: movies Tags: cabine

Share on: Facebook | Twitter | Google