Os Goonies

“Um grupo de meninos embarcam em uma aventura após encontrar o mapa de um suposto tesouro escondido.” É com esse argumento simples que se constrói um dos filmes mais empolgantes e divertidos dos anos 80. De fato, a união do roteirista Chris Columbus (O Enigma da Pirâmide), do diretor Richard Donner (Superman — O Filme) e do idealizador Steven Spielberg (precisa dizer algo?) deve ter produzido uma espécie de esfera criativa nunca antes vista, e que até produz ecos na filmografia contemporânea, em que o exemplo mais recente é o filme-homenagem Super 8, de J.J. Abrams.

Porém, seríamos injustos se deixarmos de fora Dave Grusin e sua inspirada trilha sonora, que não cria uma música marcante (essa foi tarefa de Cindy Lauper), mas evoca em suas notas memoráveis o espírito de aventura.

O núcleo da história se inicia com a dupla de irmãos Mikey (Sean Astin, o Sam de Senhor do Anéis!) e Brandon Walsh (Josh Brolin), que se preparam para mudar porque empresários almejam construir um campo de golfe no lugar de sua casa, que poderá ser salva apenas com dinheiro suficiente para parar a construção. Porém, quando Mikey, junto de seus amigos Chunk e Mouth (Corey Feldman, Conta Comigo), encontram um mapa que pertencia a um suposto pirata que há muito tempo atrás esteve na região, eles começam uma espécie de caça ao tesouro. Porém, um dos lugares investigados é justamente o esconderijo dos irmãos Fratelli, uma família de bandidos que acabou de soltar o irmão da prisão.

A série de acontecimentos que se seguem são primorosamente capturadas e editadas em um ritmo cada vez mais empolgantes por Michael Kahn, editor habitual de Spielberg. O que parecia uma história besta, então, se transforma em um filme digno de aplausos por abraçar sem reservas o ponto de vista das crianças e a sua aventura, contando para isso com movimentos de câmera acelerados, trilha sonora que remete ao deslumbramento dos pequenos, e até a fotografia de Nick McLean ajuda enormemente, por exemplo, ao evocar a caverna escondida com luzes douradas, alusão ao clima lúdico da aventura, em detrimento às luzes frias e escuras das cenas externas (a própria casa dos irmãos é retratada com menos luz, enquanto o mapa encontrado no sótão já contém traços da luz dourada).

Porém, o que impressiona mesmo durante todo o filme é a versatilidade dos atores-mirins, pois cada um desenvolve sua própria personalidade de maneira completamente encantadora, sendo difícil escolher apenas um como favorito. As cenas protagonizadas por cada um deles fascina pela individualidade apresentada em seus personagens, com seus traços mais marcantes (e nesse caso merece menção honrosa a divertidíssima atuação de Jeff Cohen como Chunk e a cena em que ele é interrogado pelos irmãos Fratelli).

Aliás, a liberdade entregue aos atores é fruto da inteligência de todos os idealizadores, que perceberam algo que muitos produtores sequer se lembram quando estão fazendo um filme de crianças: não há nada mais mágico e empolgante que o espírito de uma criança solta em uma aventura, qualquer que ela seja.

★★★★★ Wanderley Caloni, 2011-10-13. Os Goonies. The Goonies (USA, 1985). Dirigido por Richard Donner. Escrito por Steven Spielberg, Chris Columbus. Com Sean Astin, Josh Brolin, Jeff Cohen, Corey Feldman, Kerri Green, Martha Plimpton, Jonathan Ke Quan, John Matuszak, Robert Davi. imdb