Os Pobres Diabos

2017/07/01

Os Pobres Diabos é um filme com viés comunista e financiado com dinheiro público (Petrobrás). Ganhou prêmio em 2013 em Brasília. Mas tudo isso poderia ser relevado se fosse um bom filme. Não é. Empregando artistas tradicionalmente amigos estatais, como a filha de Chico Buarque, a primeira cena é a mais interessante, pois promete um drama poético nordestino sobre pobreza financeira e riqueza de espírito. Vai se transformando aos poucos em uma série de clichês que flertam com telenovela, incluindo duas vezes a cena do corno que chega em casa assobiando. Seu núcleo narrativo usa um auto de Lampião no Inferno, que provavelmente é mais interessante do que aparente aqui, onde soa interminável. E mais interminável ainda deve ser para os espectadores do circo onde a história se passa, moradores de uma cidadezinha de onde pode-se ver os moinhos de vento de energia eólica, em um inusitado “product placement” estatal. Quase consigo ver aqueles slogans bregas de longe. Brasil: um país de vento.

★☆☆☆☆ Os Pobres Diabos. Brazil, 2013. Direction: Rosemberg Cariry. Script: Rosemberg Cariry. Cast: Sâmia Bittencourt. Sílvia Buarque (Creusa). Gero Camilo (Zeferino). Georgina Castro. Chico Díaz (Lazarino). Nanego Lira. Zezita Matos (Zezivalda). Everaldo Pontes (Arnaldo). Edition: Petrus Cariry. Rosemberg Cariry. Cinematography: Petrus Cariry. Soundtrack: Herlon Robson. Runtime: 98::(original version). Gender: Drama. Release: 6 July 2017. Category: movies Tags: cabine

Share on: Facebook | Twitter | Google