Paris Pode Esperar
Wanderley Caloni, 2017-05-31

Estreia da esposa de Francis Ford Coppola, Eleanor Coppola, na direção e roteiro, Paris Pode Esperar é o resultado que se poderia esperar de uma esposa de um cineasta que por décadas vive uma rotina provavelmente mais ocupada do que necessariamente prazerosa. O que nos falta em nossa vida comum às vezes é a visão de como há percalços e situações semelhantes em qualquer esfera social. Somos todos humanos, afinal de contas, e quando algo vem em exagero, a sutileza é que falta. A filha dos dois, Sofia Coppola, já havia dado o recado inúmeras vezes em seus filmes. Aqui falta o objetivo, mas sobra sensações. Sobretudo gastronômicas. Diane Lane está confortável no papel de protagonista de uma viagem que parece querer tornar seus personagens meros espectadores de como a vida pode ser maior. A comida e a viagem pode encantar alguns, ainda mais os mais sonhadores, que não pararam para pensar que tudo isso parece um vídeo publicitário de uma agência de viagens. Um vídeo muito bem feito, aliás.

Crítica completa na estreia do filme no CinemAqui.

★★★☆☆ Bonjour Anne. USA. 2016. Direção: Eleanor Coppola. Roteiro: Eleanor Coppola. Elenco: Diane Lane (Anne), Alec Baldwin (Michael), Arnaud Viard (Jacques), Linda Gegusch (Anne Marie), Élodie Navarre (Carol), Elise Tielrooy (Martine), Cédric Monnet (Gardien de musée). Edição: Glen Scantlebury. Fotografia: Crystel Fournier. Trilha Sonora: Laura Karpman. Duração: 92. Aspecto: 1.85 : 1. Comedy. #cabine