Paulistas

Feb 10, 2018

Imagens

Paulistas é um documentário que, de acordo com o diretor, Daniel Nolasco, quer registrar as causas do êxodo rural de uma região de Goiás (incluindo ele próprio), mas que acaba, apesar da sequência de imagens evocativas, sendo “apenas” um registro de atividades simples, “humildes” e tradicionais da região interiorana de Goiás, e por que não, do ser humano trabalhando terra e animais.

O sotaque e a forma simples das pessoas se comunicarem é o ponto forte. Principalmente quando estas pessoas executam ações impensadas por seres da cidade grande, como saber limpar a aproveitar um porco recentemente sacrificado para a janta da noite, ou beber leite direto das tetas da vaca. Tirando essas “cenas fortes”, todo o resto é muito sutil em “Paulistas”, que a despeito do nome é sobre uma região homônima no sul de Goiás (provavelmente nomeada pelos bandeirantes que ali passaram).

A história oficial é sobre os efeitos da construção de uma barragem para trazer energia elétrica à região e sobre a agropecuária tratada como um negócio (bom, negócio ele já é, mas com grandes empresas, sabe?). Tudo isso seria o motivo do êxodo dos jovens do lugar, que não mais ali habitam. As imagens coletadas no filme são do período das férias, onde três irmãos voltam para visitar familiares. O documentário não tem entrevistas, nem falas, nem diálogos. É uma sucessão de imagens que tenta ser auto-explicativas. Não consegue.

E por isso o resultado é mais sobre o registro do que sobre a história que ele quer contar. Como registro, fascinante. Como história, não-linear, fascinante também. Mas sem foco. Fruto dessa geração de smartphones.

Wanderley Caloni, 2018-02-10. Paulistas. IMDB.