Peppa Pig

Eis um desenho que preza por histórias sucintas, rápidas e simples, ligeiramente divertidas e que estão atreladas ao fato da família principal ser constituída de porcos.

Aliás, mais do que isso. São porcos que vivem em uma casa, possuem um carro. Sua filha – a Peppa do título – vai a aulas de balé. Seus pais são gordos e simpáticos. Seus avós são ativos. Enfim, uma família normal que passa por peculiaridades que toda família passa.

O desenho é tão simples que lembra rabiscos bem feitos com lápis de cor, o que deve empolgar particularmente as crianças menores (e meu sobrinho de 2 anos é prova viva disso). É fácil de entender os acontecimentos e os desenhos em torno deles (que envolve a família de porcos e outros animais), mas eles são feitos em um nível de inteligência acima de esquisitices mais precoces como Teletubbies ou Galinha Pintadinha (essa nem desenho é, são video-clipes infantis).

O curioso é que não existe trama. Não há algo a ser corrigido, nem nada a ser aprendido. É um desenho sobre a própria vida e como a vivemos. Mesmo trabalhos mais naturalistas como Meu Amigo Totoro se alimentam de tensão – no caso de Totoro, a mãe doente – mas aqui não há espaço para estratégias que envolvam três atos. A atenção dos pequeninos é limitada, e tudo tem que estar acontecendo naquele exato momento. Viva o agora, esse é o lema.

E se trata de um bom lema. Fugindo do formato convencional das obras narrativas que possuem a ambição de passar alguma lição valiosa sobre a vida (algo meio inútil para pequeninos com a racionalidade subdesenvolvida), Peppa Pig só quer refletir a própria vida em forma de rascunhos para que crianças aos poucos percebam as semelhanças com suas próprias vidinhas.

Para adultos, é fácil assistir dois, quatro, seis, doze episódios seguidos. E nem precisa ter muita atenção. Basta relaxar e se deixar levar por um monte de rabiscos que formam uma história simples, dessas que vivemos no dia a dia. De vez em quando arte é apenas percebermos que estamos vivos, mesmo que seja pela tela de uma televisão.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2016-10-16 imdb