Personal Shopper
Wanderley Caloni, 2017-02-20

Este é um filme que lida com espíritos. Porém, não são apenas espíritos além-vida, mas espíritos do mundo de hoje que vivemos, residindo em corpos inertes, vagando sem destino, odiando suas vidas e querendo ser outra pessoa. A atuação de Kristen Stewart é primordial aqui. Sempre incapaz de expressar muitas emoções, sua personagem é a figura latente em cada um de nós quando nos afastamos do nosso eu. Ela não gosta de seu trabalho e aguardar por um sinal de seu irmão falecido (ela é médium). Está presa em Paris aguardando por esse sinal. Seu trabalho é comprar, alugar, levar e trazer roupas e acessórios para uma modelo famosa que faz publicidade usando a defesa dos animais (embora não esteja muito interessada em animais). O uso de um suposto espírito se comunicando com um celular faz de Personal Shopper um trabalho crítico sobre o mundo “conectado” de hoje. Quando a personagem de Stewart acha que alguém a está observando, ela olha em volta e fica aliviada: todas as pessoas estão concentradas em seus celulares. O filme pode sugerir a presença de espíritos de pessoas já mortas presentes em nossa vida, mas deixa mais claro que os vivos já estão mortos há muito tempo.

Crítica completa na estreia do filme no CinemAqui.

★★★★☆ Personal Shopper. France. 2016. Direção: Olivier Assayas. Roteiro: Olivier Assayas. Elenco: Kristen Stewart (Maureen Cartwright), Lars Eidinger (Ingo), Sigrid Bouaziz (Lara), Anders Danielsen Lie (Erwin), Ty Olwin (Gary), Hammou Graïa (Police Officer), Nora von Waldstätten (Kyra), Benjamin Biolay (Victor Hugo), Audrey Bonnet (Cassandre). Edição: Marion Monnier. Fotografia: Yorick Le Saux. Duração: 105. Aspecto: 2.35 : 1. Drama. #cabine