Punhos de Sangue

Rocky Balboa foi um personagem inspirado pelo lutador médio-pesado Chuck Wepner. Agora, que Chuck Wepner foi inspirado por Rocky Balboa faz parte da divertida descoberta em Punhos de Sangue, que volta a se inspirar em Wepner, dessa vez contando sua própria vida e como ela foi afetada pelo Cinema. Quatro roteiristas e o diretor Philippe Falardeau recontam a fábula sobre os filmes de boxe que obviamente nunca são sobre boxe com uma certa reverência e grande competência técnica, principalmente no tom pseudo-documental da câmera e da fotografia granulada, fora uma direção de arte e figurino criativos em usar o exagero dos anos 70 para pontuar isso ao espectador. Porém, é Liev Schreiber como Wepner que leva o filme nas costas, seja pelas suas inspiradas falas (Schreiber participou do roteiro), pelo modo de dizê-las ou simplesmente pela presença de cena em uma encarnação que nos faz ver este filme de maneira leve e ao mesmo tempo um tanto depressiva. Perto do final não sabemos ao certo quantos golpes mais iremos aguentar, diferente do muito mais resistente Rocky Balboa e, claro, Chuck Wepner.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2017-05-18 imdb