Quarentena

No início, por exemplo. Angela Vidal (Jennifer Carpenter) é uma repórter cobrindo uma noite na vida dos bombeiros junto de seu camera man Scott Percival (Steve Harris). Nesse momento temos o tom documental, tão comum hoje em dia nos filmes de terror, e que explora tão bem esse pedacinho de realismo em frente à telona. Há momentos engraçados e extrovertidos, como no momento em que a repórter começa a fazer brincadeiras com a masculinidade de seus entrevistados. Até aqui há o ponto positivo de entrarmos na atmosfera da história, embora ainda saibamos muito pouco dos seus personagens para que tenhamos algo a mais para seguir do que simplesmente o making of de uma reportagem.

A partir do momento em que a ameaça se torna visível, o risco de uma doença se alastrando entre os moradores de um prédio e as autoridades literalmente isolando-os até que tenham o controle da situação, há um motivo para ficarmos atentos, mas não há pessoas onde devemos focar nossa atenção em especial: estamos entretidos pelo momento, assim como fazemos ao assistir programas televisivos sensacionalistas.

Quando o clima fica mais pesado, com pessoas morrendo por toda a parte e ataque dos infectados, fica muito difícil aguentar o riso, pois há algo de sobrenatural demais, caricato demais. Talvez saibamos a cultura de zumbis esteja forte demais para haja repulsa e medo desse seres tão… inertes? A tensão se mantém, mas a comédia se estabelece aí para estragar a festa.

Porém, e aí está uma grande sequência, no momento em que todas as luzes se desligam e somos obrigados a enfrentar o escuro através da filmagem noturna e o silêncio quase que completo, o destino dos personagens — e de nós — importa mais do que tudo. Nos identificamos quase que de imediato. O que é curioso, se pensarmos que até então estávamos apenas acompanhando sua agonia, desespero e gritos histéricos, mas a uma distância segura. Agora, não. Há o envolvimento direto conosco. Estamos presos na mesma sala, e temos que fazer alguma coisa.

Esse momento, infelizmente, não dura muito tempo.

★★☆☆☆ Wanderley Caloni, 2012-11-18 imdb