Refém da Paixão

Kate Winslet e Josh Brolin são atores tão competentes que “Refém da Paixão” sai quase ileso de seu formato drama enlatado com situações previsíveis para tornar tudo um pouco mais tenso. Até Gattlin Griffith, que faz o jovem Henry, e que quando adulto é narrado por Tobey Maguire, consegue um desempenho interessante, e talvez tenha dado a sorte de pegar o personagem mais ou menos acompanhável. No entanto, a mãe amargurada Adele (Winslet) e o bom homem preso injustamente Frank (Brolin) são funções ingratas da dupla de atores veteranos, pois uma vez estabelecidos os estereótipos, eles nunca mudam.

E, mesmo assim, esses dois insistem de uma maneira até compreensível em utilizar pequenas situações do dia-a-dia para elevar o estado de espírito neste que é talvez o trabalho mais fraco do diretor Jason Reitman, o até do roteirista Jason Reitman. Tendo estreado em Obrigado por Fumar e feito o texto de estreia de Diablo Cody em Juno, Reitan manteve a boa forma no ótimo Amor sem Escalas, seja na direção quanto no roteiro. Aqui, porém, por usar o romance de Joyce Maynard de uma maneira insípida, nunca temos a sensação de ver a história se movendo, mas sim parada, estática, nos mostrando como eram mágicos os épicos anos 80.

Justamente por isso, mas não retirando o mérito, a direção de arte de Mark Robert Taylor e a fotografia de Eric Steelberg tornam a atmosfera de 1987 algo imensamente satisfatório. A época em si se torna um personagem à parte, mas não sabemos bem por que. Talvez o filme tenha também se apaixonado erroneamente por esta década, como Adele acaba se entregando a um foragido da lei.

De qualquer forma, por mais lindo que seja, Refém da Paixão nos mantém reféns de uma ideia com potencial que consegue ser explorada apenas pontualmente, mas não é páreo para um longa-metragem. Apesar observar a passagem do tempo e experimentar viver alguns minutos nesta época, com essas cores e esses molhos de tomate enlatados, só se torna atraente se você, assim como Adele, está amargurada pelo que o destino lhe pregou: uma prisioneira em sua própria casa, junto de seu filho. Essa imagem eternizada serve muito bem para um quadro, mas não fez a mínima diferença para um filme.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2016-07-18. Refém da Paixão. Labor Day (USA, 2013). Dirigido por Jason Reitman. Escrito por Jason Reitman, Joyce Maynard. Com Kate Winslet, Josh Brolin, Gattlin Griffith, Tobey Maguire, Tom Lipinski, Maika Monroe, Clark Gregg, James Van Der Beek, J.K. Simmons. imdb