Relatos Selvagens

Dirigido e escrito pelo portenho Damián Szifrón, Relatos Selvagens é uma coletânea de meia-dúzia de curtas que lidam com a natureza selvagem da humanidade, implacável seja em uma disputa de automóveis por uma estrada ou pela burocracia interminável para o contribuinte, que gastas somas vultosas de dinheiro em serviços de péssima qualidade. Ou seja, seja visível ou não, o vilão que se esconde atrás da nossa espécie usa como combustível nossos instintos mais primitivos e violentos. Dessa forma, sentimentos transbordam depois que somos vítimas de traição, vingança, corrupção, desdém ou qualquer forma de tratamento pessoal que diminua nossa auto-imagem.

A direção de Szifrón é enxuta e a edição, dividida entre o diretor e Pablo Barbieri Carrera (Um Conto Chinês), é dinâmica e flui facilmente entre histórias mais densas e passagens mais triviais. No entanto, há um denominador comum entre elas: todas mexem com nossos brios e, sim, fazem-nos pensar, mas principalmente sentir. Em determinados momentos, como quando um ricaço tenta comprar a inocência de seu filho através do jardineiro, há momentos de reflexão sobre como aquelas pessoas se transformam rapidamente pela cor do dinheiro. Já os momentos milimetricamente ajustados de um casamento que não deu muito certo possuem o potencial de um soco no estômago da sociedade seguido de diversos chutes enquanto ainda estamos caídos.

Com certeza você terá a sua história favorita e aquela que não gostou muito. Porém, independente de gostos pessoais e subjetivos, será difícil ficar indiferente às questões colocadas no filme. Seja o que fazer em uma situação de fácil vingança ou qual casal de velhinhos matar junto com toda sua coleção de críticos de uma vida inteira.

★★★★★ Wanderley Caloni, 2014-12-16 imdb