Reza a Lenda

Esse filme é um faroeste brasileiro, e não “o Mad Max brasileiro”, como queria seu idealizador, o diretor Homero Olivetto. Ancorado em uma lenda onde uma santa, se colocada no lugar correto, faria chover na desértica caatinga nordestina, a história de Ara (Cauã Reymond) e sua gangue contra o coronel/político Tenório (Humberto Martins) é montada em cima de um filme lento e arrastado que se cobre de clichês nacionais – como mulheres em cenas de nudez e sexo, e uma donzela em perigo sem ter muito a oferecer.

Porém, entregando em sua estrutura um grito de revolta contra o “sistema vigente”, seja este o político (autoritarismo de quem faz as leis) ou religioso (é preciso a crença no sobrenatural para termos algo a mais), o filme se sai muito melhor em sua sutileza temática do que, por exemplo, “Que Horas ela Volta?”, que é um panfleto comunista travestido de drama pessoal (ainda que maravilhosamente bem feito). No caso de Reza a Lenda, há obviamente um panfleto sendo entregue, mas seu argumento é justamente contra todo esse status quo, inclusive a existência de gangues espalhando caos pela caatinga. O arco representado por Ara não é seu embate contra Tenório (cuja caricatura de Humberto Martins é perfeita em dicção, postura e sotaque), mas sua luta contra a doutrinação religiosa que passou a receber assim que enterrou seus pais, vítimas da seca (destino semelhante tiveram todos os membros de sua gangue).

Para conseguir seu objetivo, Ara terá que se desfazer de suas crenças uma a uma, representadas por flashbacks eventuais de sua infância, e eliminar a relação odiosa entre igreja e estado. O embate de Reza a Lenda não é só simbólico, mas interno, íntimo. Ara carrega esse peso em suas costas, e precisa se livrar dele. Quando a miragem do milagre se desfizer, o melhor momento do longa, sua jornada estará completa.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2016-02-06. Reza a Lenda. Reza a Lenda (Brazil, 2016). Dirigido por Homero Olivetto. Escrito por Homero Olivetto, Patrícia Andrade, Newton Cannito, Homero Olivetto. Com Cauã Reymond, Humberto Martins, Sophie Charlotte, Luisa Arraes, Júlio Andrade, Sílvia Buarque, Jesuíta Barbosa, Nanego Lira, Zezita Matos. imdb