Ring: O Chamado

Essa é a versão japonesa, que estreou dois anos antes do remake americano. Diferente de toda a pomposidade de sua cópia, e os efeitos sonoros enlatados de terrores hollywoodianos, este tem a rapidez de um thriller e a semi-profundidade de um drama. Possui um ritmo visual econômico e ágil, e uma conclusão factoide, o que o torna um exemplo de sua própria lenda.

A história é simples: um vídeo misterioso de alguns segundos, se assistido, fará a pessoa morrer em sete dias (após receber um telefonema após ter assistido). Uma médium (Nanako Matsushima) começa a investigar quatro mortes em um só dia, e seu ex-marido (Yutaka Matsushige), também médium, passa a ajudá-la. Ambos têm um filho, quase abandonado, e logo isso constitui um drama eficiente em torno de uma história de terror.

Além disso, há um mistério que é desvendado aos poucos a respeito da produção da fita. Uma história sobre erupção de vulcões, uma profetiza e sua filha ainda mais poderosa constituem uma história paralela que rima com a principal por falar da mesma coisa: é a história de família desajustadas. Marido e mulher se perguntam se deveriam ter tido mesmo um filho do jeito que são, e agora os três fazem parte da maldição que é ter uma família disfuncional.

O jogo de quadros do filme às vezes é arrebatador, como quando um acontecimento inesperado está sendo ouvido do outro lado de um telefone, e a câmera consegue triangular o passado, presente e futuro desse acontecimento apenas repassando cada um dos envolvidos, sem a necessidade de nenhum diálogo expositivo.

É digno de nota também que a maioria dos sustos vêm de uma TV e seu reflexo, sem nenhum daqueles sons capengas que costumam trapacear a surpresa. O jogo de sombras do filme, e os ambientes naturalmente apertados das residências do Japão são o suficiente para tornar Ring um trabalho claustrofóbico por natureza.

Com uma trilha sonora pesada, mas harmoniosa, esse é um filme que passa voando, mas não possui quase nenhum elemento ao acaso. Sua narrativa é coesa, sua história é tensa, sua trama consegue ser complexa sem dificultar o entendimento do espectador. Um trabalho de terror à altura dos maiores: o que não apela para a fuga fácil do susto barato.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2016-09-15. Ring: O Chamado. Ringu (Japan, 1998). Dirigido por Hideo Nakata. Escrito por Hiroshi Takahashi, Kôji Suzuki. Com Nanako Matsushima, Miki Nakatani, Yûko Takeuchi, Hitomi Satô, Yôichi Numata, Yutaka Matsushige, Katsumi Muramatsu, Rikiya Ôtaka, Masako. imdb