Romance à Francesa

Este poderia ser um trabalho de Woody Allen, se Woody Allen conseguisse ficar mais de uma hora e meia sem falar de pessimismo e conseguisse apenas focar no romantismo. É um filme que resume nossa geração moderna, seus casamentos falidos e suas novas tentativas de amar e ser feliz.

Há uma doçura na abordagem de Emmanuel Mouret, que dirige e escreve o filme, mas também há uma série de coincidências forçadas que logo se revelam como necessárias para que sejam criadas situações para seus personagens onde é possível avaliar relacionamentos sem muitos rodeios. Não é um roteiro criativo nem primoroso, apenas funcional.

Os detalhes técnicos são uma observação à parte. A fotografia deslumbrante evoca não o onírico, mas o romance, de todas as formas. Os tons quentes, aconchegantes, com um amarelado eterno, evoca que este é um estudo de personagens que às vezes prefere pausar a ação e observá-los. A trilha sonora, escrita à dedo para essas situações.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2016-09-29 imdb