Safe

May 29, 2018

Imagens

Antes que me perguntem, não, Michael C. Hall não mudou muita coisa desde seu icônico personagem em Dexter. Ele sempre foi o ator perfeito para o papel de serial killer, e aqui se sai muitíssimo bem no papel de um viúvo pai de duas meninas, onde uma delas some misteriosamente. Estamos em um condomínio fechado da classe média alta americana com pais um pouco autoritários demais com seus filhos (crítica social!) e vizinhos bem estranhos para ter como vizinhos.

Há um churrasco no primeiro episódo de Safe, e não há nenhuma cena em todo o piloto que nos faça visitar aquele mundo de novo. Claro, você pode se sentir seduzido para descobrir o paradeiro da menina, o que aconteceu na festa de jovens, etc, etc, e etc. Mas para isso terá que ser atraído por qualquer tipo de suspense, já que este é genérico demais para nos preocuparmos com qualquer coisa. Os personagens são jogados e basicamente é isso.

A produção possui um esmero interessante na fotografia sisuda e na forma como o próprio condomínio é retratado, como um lugar onde há eventos sociais para confraternização que no fundo é um grande elevador onde todos se olham sem dizer realmente nada. O luto da esposa do personagem de Michael C. Hall possui um ar de incógnita na reação de sua filha mais velha durante o enterro, e o próprio C. Hall parece guardar algum mistério. Ele deveria, já que o resto dos personagens passa longe de ser interessante. No máximo todos conseguem ser muito antipáticos. Se esse foi o objetivo inicial da série, parabéns.

Wanderley Caloni, 2018-05-29. Safe. EUA, 2018. Criado por Harlan Coben. Com Amy James-Kelly, Amanda Abbington, Michael C. Hall. IMDB.