Sem Limites

Bradley Cooper protagoniza este filme de Neil Burger, provavelmente o melhor trabalho até aqui do diretor que já fez O Ilusionista, mas também Divergente.

A história, adaptada pelo igualmente habituado a trabalhos mdíocres Leslie Dixon, é baseada no romance de Alan Glynn, e talvez por isso suas ideias sejam interessantes se levadas pela abordagem realista que o filme todo o tempo tenta trazer.

Cooper é Eddie Morra, um escritor frustrado em crise de inspiração, que engole um pílula de uma nova droga que promete trazer concentração e acesso ao cérebro inimagináveis. A partir daí, sua vida muda e rapidamente o escritor frustrado tem um livro em 4 dias e começa a operar loucamente na bolsa de valores, atiçando a “curiosidade” de velhos veteranos nesse jogo, como Carl Van Loon (Robert De Niro), que faz a vez Gordon Gecko (Wall Street).

O filme não tenta explicar muita coisa visualmente, o que é ótimo. Vemos praticamente o ponto de vista de Eddie, que é o narrador onisciente. Porém, as narrações são recheadas e obviedades e redundância ao que acabamos de ver, o que torna a experiência meio enfadonha. As melhores partes, sem dúvidas, são quando, por relapso ou proposital, não sabemos direito a relação entre os usuários dessa droga.

E outra coisa que força demais a lógica dessa atmosfera de conspiração é quando percebemos que nenhum desses gênios instantâneos foi capaz de reproduzir a fórmula, embalados na ganância do dinheiro fácil. Talvez seja apenas a visão do filme de que apenas os gananciosos usariam essa droga, ou conseguiriam obtê-la.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2016-03-19. Sem Limites. Limitless (USA, 2011). Dirigido por Neil Burger. Escrito por Leslie Dixon, Alan Glynn. Com Bradley Cooper, Robert De Niro, Abbie Cornish, Andrew Howard, Anna Friel, Johnny Whitworth, Tomas Arana, Robert John Burke, Darren Goldstein. imdb