Boneca Russa

Wanderley Caloni, February 6, 2019

Sempre que alguém vem com a ideia de refazer o princípio do icônico filme de Bill Murray, Feitiço do Tempo, já surge aquele sentimento de muleta narrativa para tornar uma história artificialmente interessante. E quando essa ideia vem da Netflix, então, é certeza que lá vem bomba.

Nesse caso uma das atrizes russas de Orange is the New Black, Natasha Lyonne, junto com Leslye Headland e a comediante Amy Poehler (da série Parks and Recreation) resolvem usar um princípio muito simples que vai se desenrolando em princípios menores e irrelevantes. O princípio maior é: morreu volta para um ponto no tempo. Os princípios menores são “qual a moral de tudo isso”, “algumas coisas envelhecem ou somem”, “espaço-tempo revisitado” e todas as baboseiras de quem não é muito fã de sci-fi, mas que precisa ser, costuma colocar nesse tipo de material.

O resultado é, claro, a muleta narrativa funciona. São episódios curtos que divertem moderadamente com piadas ruins ditas por Lyonne e que nos faz lembrar que esse não é o filme do Bill Murray. A melhor parte é a introdução de um segundo personagem com problemas de relacionamento, mas fica apenas na introdução e depois todos nós temos que aguentar novamente as piadinhas sem graça e os relacionamentos aleatórios e sem sentido da garota de cabelo ruivo.

Imagens e créditos no IMDB.
Boneca Russa ● Russian Doll. EUA, 2019. Criado por Leslye Headland, Natasha Lyonne e Amy Poehler. Com Natasha Lyonne, Charlie Barnett, Greta Lee. ● Nota: 3/5. Categoria: series. Publicado em 2019-02-06. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?