Sonhando Acordado

Martin Freeman, da saga do Hobbit e do novo Watson, também consegue fazer um drama, ainda que hilário. Aqui ele vive um músico tão frustrado com seu emprego e namorada ( Gwyneth Paltrow, quem não estaria). Tentando encontrar algo de bom na vida quando está dormindo, compartilha seus sonhos com a estonteante Anna (Penélope Cruz), uma figura diametralmente oposta a seu próprio ego.

O filme ganha fôlego nesse mergulho de Freeman no mundo dos sonhos. Ele encontra Mel (Danny DeVito), um especialista em sonhos (e em sonhar). Note como DeVito inclina seu corpo para falar, tão mais à vontade que se sente na posição horizontal, e verá uma interpretação ímpar do ator. O controle maior no mundo onírico não acontece com Freeman, mas em vez disso o reflexo do seu descontrole da vida real cada vez maior. Nesse ponto o realismo das frustrações do ser humano atinge seu ápice.

O filme perde fôlego ao tentar diminuir cada vez mais a barreira sonho/realidade. É interessante, mas não tanto quanto as sensações de uma vida que jamais será vivida. Ou quem sabe seja esse o objetivo: mostrar como os sonhos representam tudo de melhor em nossa existência. Tal como os filmes.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2014-01-19. Sonhando Acordado. The Good Night (USA, 2007). Dirigido por Jake Paltrow. Escrito por Jake Paltrow. Com Keith Allen, Steffan Boje, Penélope Cruz, Danny DeVito, Sonia Doubell, Martin Freeman, Michael Gambon, Stephen Graham, Kate Harper. imdb