Tag: Mostrasp

Um Homem Insignificante

Nov 2, 2016 4 min.

Fui convidado a assistir este documentário por um de seus diretores, Vinay Shukla, na 40a. Mostra de São Paulo. Fiquei imensamente lisonjeado pelo Cine Tênis Verde ser reconhecido como uma fonte de conhecimento a respeito da sétima arte. Temos feito o possível para incluir nesse festival o máximo de textos. Como já havia agenda (e recursos) para tal, selecionei-o na sua última sessão, dia 1. Curiosamente quase não consegui assisti-lo graças à bagunça que foi a cabine de Snowden, de Oliver Stone, na manhã do mesmo dia.

A Causa e a Sombra

Oct 31, 2016 3 min.

Um filme sobre as pessoas torturadas e presas pela ditadura no Brasil nas décadas de 60⁄70 que se esquece de avisar ao espectador qual era o grande medo da população e dos militares caso os “revolucionários militantes” chegassem ao poder. Na verdade, é pior, pois se ao menos o filme se mantivesse centrado apenas no aspecto humano seria minimamente interessante, além de servir de alerta sobre a falta de limites do Estado.

Haymatloz - Exílio na Turquia

Oct 31, 2016 2 min.

Este é um documentário quase televisivo, descritivo, que não tem praticamente nada a falar. Burocrático do começo ao fim, tem por objetivo uma homenagem aos professores expulsos da Alemanha Nazista que lecionaram em Istambul, na Turquia, além de alguns na Suíça. Seus filhos e netos voltam, então, às origens e o que vemos acaba por aí. Sim, há longas descrições dos descendentes dessas pessoas, uma piadinha ou outra pelo fato de serem Judeus e Turcos, de serem mal vistos em ambas as culturas.

Sonar

Oct 31, 2016 2 min.

Este é o segundo filme que vejo na Mostra com um personagem que grava sons do ambiente (o outro é O Que Restou da Minha Vida). Sonar escolhe falar sobre uma imigrante mulher de um país africano que ainda trata mulheres como submissas. O interessante é que, considerando o que o filme faz dessa personagem, não temos pista nenhuma que nos faça evitar em pensar que, no fundo, ela também seria no Ocidente como apenas mais uma vadia.

Dolores

Oct 28, 2016 2 min.

Este é um filme feito para a televisão, com um orçamento aparentemente baixo, mas com grandes ideias. Ele repete os passos hitchcockianos e seus mistérios fantasiosos, mas com pouco jeito. Se tratando de um filme que é sobre a cópia perfeita da realidade, este Hitchcock queimou um pouco no forno. Mas o maior problema seja a trilha sonora. Jörg Lemberg imita um Bernard Herrmann (Psicose, Um Corpo que Cai) em todos os acordes.

Hee

Oct 28, 2016 2 min.

Uma ideia interessante, estruturada de maneira interessante, e executada desleixadamente. Tem a ver com sexo, tem a ver com drama, tem a ver com crime. E isso, aparentemente, é motivo de sobra para a diretora Kaori Momoi se achar a fodona e deixar todos nós entediados. Porém, veja bem. O filme é um confessionário com um psiquiatra que começa a ser influenciado pelo “fogo” da testemunha-chave: uma prostituta japonesa meio ninfomaníaca (a própria Momoi) que mora em solo americano já há algum tempo, mas não soube usar sua boca para falar inglês (estava ocupada fazendo outras coisas).

Marie e os Náufragos

Oct 28, 2016 2 min.

Um filme que atravessa o indie usando uma metalinguagem Kaufmaniana, descobrindo seus personagens no percurso, realizando uma trama eficiente que, por mais absurda que seja, mantém sempre o interesse do espectador. Tudo começa com Siméon, um rapaz desajustado que entra em um bar em Paris e é abordado casualmente por um viajante carente. Ambos cantam no karaokê e se despedem, deixando Siméon com uma triste notícia sobre o recém-amigo. A intensidade da cena muda de acordo com a versão que é tida como verdade, e é sobre isso o filme.

Bench Cinema

Oct 26, 2016 3 min.

É fácil fazer filmes que homenageiam o Cinema de uma forma ou outra. O cinéfilo e o crítico caem de pé. Porém, difícil é fazer algo com qualidade, que queira dizer algo a mais, e esteja se aproveitando da metalinguagem para isso. E esse felizmente é o caso de Bench Cinema, um filme que observa a realidade do Irã e sua censura e, nos mesmos moldes de Cinema Paradiso (outro filme que explora metalinguagem), constrói uma narrativa doce, mas dramática, sobre personagens que vivem de e para a sétima arte.

Terra Prometida

Oct 26, 2016 3 min.

Uma farsa deliciosa dramatizando o apocalipse enxergado por Karl Marx. Mostra os capitalistas inescrupulosos sem valor à vida humana para defender o comunismo que dá valor aos humanos como ferramenta de sacrifício. Não é um filme para levar a sério, mas como qualquer propaganda vermelha que se preze, ela tem que ser dramática; quiçá hilária. Na verdade, é de uma série de filmes do diretor que ridiculariza a propaganda soviética.

5 Mulheres

Oct 25, 2016 2 min.

Este supostamente é um thriller, mas se confunde tanto com uma comédia, e é também um drama que vai adocicando demais, tornando o conjunto nenhum bom representante de nenhum gênero. Pelo menos há um entretenimento inteligente acontecendo, o que já torna a experiência menos tortuosa. Além disso, as personagens – as cinco mulheres do título – são papéis estereotipados, mas também divertidos. Algumas delas se destacam a ponto de quase as destacarmos como alguém com mais personalidade, mas no final das contas ou ela é lasciva, ou é neutra ou tem um trauma do passado.