Tempo de Despertar

May 27, 2013

Imagens

Robin Williams é sempre Robin Williams. Felizmente, esse fato não é o suficiente para estragar um filme que se esforça de maneira tocante ao tentar estabelecer uma conexão entre quem assiste e o drama dos pacientes que, sem se mover por décadas, conseguem experimentar milagrosamente uma janela de normalidade.

Porém, o mais interessante é poder analisar a “normalidade” na rotina de um hospital. O próprio doutor/pesquisador (Williams) precisa abrir uma grade todo dia para vislumbrar um pedaço do sol e das pessoas comuns. A vida comum pode ser vista como uma vantagem se presa cada vez mais à rotina e convenções? Leonard (de Niro), o paciente mais perspicaz, preso por 30 anos em um corpo que envelhecia sem vivenciar, consegue descobrir mais rápido que o introspectivo e desajeitado doutor. A falta de uma vida pode ser um sintoma válido tanto na rua quanto no hospital.

Tocante em muitos momentos ingênuos, mas desnecessariamente forçado em outros, Tempo de Despertar sofre de uma leve esquizofrenia ao não decidir se quer contar um drama filosófico ou um melodrama de hospital. Mesmo assim, um filme delicioso de ver e rever com o passar dos anos. O ser humano, pelo visto, precisa de algumas doenças para se sentir vivo.

Wanderley Caloni, 2013-05-27. Tempo de Despertar. Awakenings (USA, 1990). Dirigido por Penny Marshall. Escrito por Oliver Sacks, Steven Zaillian. Com Robert De Niro, Robin Williams, Julie Kavner, Ruth Nelson, John Heard, Penelope Ann Miller, Alice Drummond, Judith Malina, Barton Heyman. IMDB.