The Walking Dead - Primeira Temporada

Apr 3, 2013

Imagens

The Walking Dead é uma trama de zumbis para forçar uma trama sobre seres humanos sobrevivendo no limite. Ele exagera demais no drama, talvez nos zumbis, mas nunca nessa premissa. Estamos acompanhando pessoas que estão tentando adaptar uma nova moral, novas regras e novas formas de viver a vida. Felizmente ou infelizmente, aos poucos eles descobrem que nada mudou muito.

Finalmente, por livre e espontânea pressão, decidi começar minha peregrinação por essa série que parece encantar pela dramatização do que antes era visto como piada: um apocalipse zumbi. Tive boas surpresas, principalmente na parte técnica, como a fotografia, que lembra tons de sépia e caracteriza esse ambiente sem qualquer rastro de esperança (além de conseguir se contrapor às cenas com sangue), e o som, que aposta em um em realismo inebriante ao estilizar os ruídos produzidos pelos “errantes”, humanos que morreram e que ressucitaram como criaturas sedentos por carne viva (humana e animal). Já o uso de Matte Paintings – cenários pintados ao fundo –, se em um primeiro momento exalta a solidão daquele mundo com precisão dramática, usado à exaustão revela mais sua artificialidade do que reforça a situação vivida por aquelas pessoas.

A parte dramática também começa bem. Acordamos em um hospital junto de Rick Grimes (Andrew Lincoln), um policial que foi baleado e que encontrava-se desacordado em recuperação. Já delineando os rumos da história a partir do seu melhor amigo/colega e a sua família formada por esposa e filho, acompanhamos sua peregrinação em busca de respostas e que culmina em uma Atlanta devastada e um acampamento com pouquíssimos humanos que sobrevivem de saquear os restos de comida da cidade deserta.

Aliás, quando digo “deserta”, me refiro a almas. Constituindo a maior aglomeração de zumbis já vista, os errantes se misturam à paisagem como se sempre fizessem parte do asfalto cinzento e do vento podre. A maior força de The Walking Dead reside justamente nas novas relações e regras que precisam ser criadas para a sobrevivência daquelas pessoas não apenas como animais, mas como seres humanos dotados de consciência.

E embora a série se esforce em ressaltar o lado humano, seus acontecimentos seguem à risca a cartilha televisiva e soam episódicos demais, iniciando e terminando convenientemente na duração de um capítulo (como os acontecimentos em torno das duas irmãs e de um inusitado asilo). Não que esse formato prejudique a história isolada de cada evento. Sabemos o que essas pessoas têm passado durante todo o tempo, e apenas isso consegue unir suas histórias. É por isso que a câmera se fixa por tanto tempo nas duas irmãs e isso não soa invasivo ou repetitivo demais. Há um outro ritmo a seguir na história humana, e a série pontua e reacerta o relógio biológico da sociedade de forma impecável.

Porém, ainda que assuma o drama, a origem cartunesca pode ter gerado alguns percalços ao definir de qual gênero estamos falando, pois ao mostrar um ataque surpresa de zumbis as câmeras são inundadas de sangue de uma forma cômica em um momento intenso e primordialmente dramático. Esse tipo de enfoque pode prejudicar o desenvolvimento da série como narrativa orgânica ou pode nos preparar para futuros acontecimentos que desafiam nossa percepção de absurdo e bizarro.

De qualquer forma, do jeito que está, The Walking Dead ainda não disse realmente a que veio, mas promete muito.

Wanderley Caloni, 2013-04-03. The Walking Dead - Primeira Temporada. The Walking Dead (USA, 2010). Dirigido por Ernest R. Dickerson, Greg Nicotero, Guy Ferland, David Boyd, Bill Gierhart, Michelle MacLaren, Tricia Brock, Seith Mann, Gwyneth Horder-Payton. Escrito por Charlie Adlard, Frank Darabont, Robert Kirkman, Tony Moore, Scott M. Gimple, Angela Kang, Glen Mazzara, Evan T. Reilly, Seth Hoffman. Com Andrew Lincoln, Steven Yeun, Chandler Riggs, Norman Reedus, Melissa McBride, Lauren Cohan, Emily Kinney, Danai Gurira, Sonequa Martin-Green. IMDB.