Um Assaltante Bem Trapalhão

Wanderley Caloni, January 28, 2019

Este é o segundo filme de Woody Allen na direção e o primeiro na direção solo. Ele havia feito dupla com Senkichi Taniguchi em “O que Há, Tigresa?”. Também roteirizando (com Mickey Rose, como no primeiro filme), aqui está claro que Allen está jogando várias de suas piadas na tela, façam elas sentido ou não no contexto da história. Por exemplo, seu personagem toca violoncelo. E há o momento hilário onde ele toca em uma banda de rua, com ele tentando se sentar em uma cadeira para poder tocar o instrumento, mas a banda nunca para.

É desse filme também a sacada do “você acha sexo uma coisa suja? só quando bem feito”. E, claro, o seu assalto ao banco frustrado porque ele escreveu errado a palavra “arma”, o que gerou um rebuliço generalizado no banco.

Essa é para ser a história de um assaltante, como diz o título nacional, bem trapalhão. E ele é. O personagem de Allen desde criança não consegue roubar uma máquina de doce, e continua fazendo trapalhadas quando adulto tentando assaltar bancos e outros golpes. Ele conhece a linda Janet Margolin e agora tem um motivo para seguir em frente. O que nos brinca com a brilhante sequência em que ele e mais outros cinco prisioneiros tentam fugir presos uns aos outros.

Esta é uma comédia de absurdos, e Allen consegue montar esses quadros como ninguém. Ele tem um repertório de piadas prontas, está lançando-las em velocidade constante, mas não consegue tornar isso em um filme com uma estrutura minimamente interessante. Ele vira apenas um filme que parece um programa da TV sobre um assaltante e suas desventuras que sempre acabam em piadas absurdas.

Imagens e créditos no IMDB.
Um Assaltante Bem Trapalhão ● Take the Money and Run. Escrito por Mickey Rose e Woody Allen. Direção por Allen. Com Woody Allen e Janet Margolin. ● Nota: 3/5. Categoria: movies. Publicado em 2019-01-28. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?