Um Lugar Qualquer

A rotina “solitária” do playboy/ator Johnny Marco (Stephen Dorff), cercado de tietes por todos os lados, mas que não abre mão de uma sessão privada de pole dance protagonizada por gêmeas, e a mudança que vai ocorrendo conforme sua filha Cleo (Elle Fanning) vai participando cada vez mais de sua vida, é mostrada pela lente humanamente aguçada de Sofia Coppola (Encontros e Desencontros), o que dispensa muitos diálogos.

E não só os diálogos. Quase inexiste trilha sonora (apenas a que faz parte daquela realidade). As cenas são longas e quase não ocorre ação, mas o que ocorre, move a história, de maneira econômica e orgânica. Até quando Johnny vai moldar sua cabeça para efeitos visuais de seu filme, o monstro que vemos é aquele ser humano por dentro (ou como ele se sente ao se comparar com a filha). Não é sequer preciso explicar a existência de tantas mulheres em sua volta: na primeira cena o que vemos e ouvimos é tão somente sua Ferrari.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2013-12-25 imdb