Um Ratinho Encrenqueiro

Com uma história típica da sessão da tarde, talvez fosse impossível tentar realizar algo acima de medíocre. Porém, quando o roteiro abraça o absurdo das situações com competente propriedade, nunca nos permitindo questionar se alguma coisa é verossímil ou não, pois é a história que dita isso, aí temos um ótimo exemplo de que, independente da história, é possível criar Cinema através de quase nada.

Já com essa postura é ditado o caminho da história, que gira sobre a herança que um empresário do ramo de fios deixa a seus dois filhos e suas condições (como não vender a familiar fábrica), além de uma insuspeita herança de uma casa, que graças a um ratinho descobre-se fazer parte do último trabalho de um arquiteto famoso.

De início a raiva dos dois contra o ratinho parece desproporcional, pois a introdução não deixa muito claro qual será o tom da comédia. Porém, conforme adentramos nesse universo conseguimos enxergar ali uma agradável homenagem a figuras como O Gordo e O Magro, além de uma surpreendente direção de arte, que constrói em torno do drama do ratinho uma igualmente insuspeita e deliciosa história de perseguição.

As tiradas são óbvias, mas sempre funcionam, mesmo quando são ruins. Não há muito o que desenvolver, mas a ação toma conta do recado ao mesmo tempo que a história timidamente se desenvolve.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2012-06-18. Um Ratinho Encrenqueiro. Mousehunt (USA, 1997). Dirigido por Gore Verbinski. Escrito por Adam Rifkin. Com Nathan Lane, Lee Evans, Vicki Lewis, Maury Chaykin, Eric Christmas, Michael Jeter, Debra Christofferson, Camilla Søeberg, Ian Abercrombie. imdb