Uma Casa à Beira Mar

Jul 11, 2018

Imagens

Deixe-me abrir um parêntese para este escritor frustrado, fácil de entender pela atuação pertinente e caracterização óbvia de Jean-Pierre Darroussin. A partir dele podemos entender o resto da família. Ele representa o intelectual máximo do microcosmo. O mais inteligente e, portanto, o mais depressivo e anti-social. Sempre reclamando com sua opinião pessimista sobre a vida, e sempre fazendo questão de politizar tudo em uma relação injusta de poder, vestindo seu casaco sutilmente vermelho e tendo seus pensamentos rejeitados pelo mundo contemporâneo, ele é obviamente um Karl Marx com barba rasa (e careca em cima da cabeça). E rasa é a metáfora aqui, pois ela só precisa de um dos representantes mais caricatos do inconformismo com a realidade para formar o símbolo. Como sua jovem namorada comenta quando fala por que está com ele, “o seu jeito revolucionário de falar me cativou”. Ele a fisgou pelo coração, mas quando chega a maturidade na cabeça desta jovem seu professor favorito começa a lembrar uma caricatura cansada e patética.

Wanderley Caloni, 2018-07-11. La villa (França, 2017), escrito por Robert Guédiguian e Serge Valletti, dirigido por Guédiguian, com Ariane Ascaride, Jean-Pierre Darroussin, Gérard Meylan. IMDB. Texto completo próximo ou após a estreia no CinemAqui (Source).