Uma Temporada na França

Será possível unir o peso dramático da situação dos refugiados na Europa com o formato filme-família sem perder um ou outro? De acordo com o diretor/roteirista Mahamat-Saleh, isso é possível, sim. Então ele monta uma história simples, icônica, que apresenta alguns personagens da vida real. Temos o pai de família cansado que perdeu sua esposa durante a imigração, e seus dois filhos, que poderiam ter uma nova vida apenas se as autoridades o deixasssem trabalhar em paz. E há sua namorada, que é polonesa e presta o serviço de lembrar a França que ela já negou regufiados uma vez com mais uma desculpa esfarrapada. O filme também apresenta um arco secundário, com um amigo do protagonista, e logo a situação foge do controle. Mahamat-Saleh tem muitos detalhes em sua história para prestar atenção, mas acaba simplificando tudo em torno de algo mais icônico, perdendo no processo o realismo de seus personagens, trazidos à tona por um competente elenco. Mas Mahamat-Saleh sabe enquadrar bem, não tem medo de longas tomadas, como a de um certo aniversário, e move a câmera quando se precisa (como na sequência dos sonhos do pai de família). Com externas belíssimas de uma França periférida, Uma Temporada na França explora mais uma vez o tema de refugiados tentando ser mais acessível para o grande público, mas não fugindo de alguns detalhes pesados da história. Acaba sendo um resultado misto.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2018-04-02. Une saison en France (França, 2017), escrito e dirigido por Mahamat-Saleh Haroun, com Eriq Ebouaney, Sandrine Bonnaire, Aalayna Lys. imdb