Uma Verdade Mais Inconveniente

2017/10/20

E eis que Al Gore, alvo de piadas inspiradas em South Park, volta para a continuação sobre os perigos da extinção do homem-urso-porco. Sabe, aquela criatura mística que é metade homem, metade urso e metade porco. Sem pretensões de explicar para o público em geral que não existem três metades de uma coisa, o que Gore faz efusivamente é apelar para gráficos, imagens, vídeos de catástrofes e muita emoção. E ele consegue. Pelo menos na frente das câmeras.

O primeiro documentário ganhou um Oscar, e a visibilidade da ameaça da crise ambiental conseguiu dar uma sobrevida à conscientização da população para os perigos da subida em pequenos graus na temperatura média do planeta. Hoje vemos cada vez mais maremotos, tornados e tempestades, e o longa explica como tudo funciona de maneira conectada. É um trabalho interessante, didático, mas pouco imbuído de argumentação lógica. É um movimento emotivo que sai do fundo do coração do ex-presidente americano e atinge, através de recrutamente e de sua própria pessoa, milhares ou milhões de pessoas, americanos e o mundo todo. A apresentação do panorama feita pelos diretores Bonni Cohen e Jon Shenk é eficaz, embora morna, sem muitas artimanhas para prender a atenção do espectador menos atento; justamente o público-alvo final para que toda essa operação funcione em escala global.

Ou talvez não. Como vemos no longa, Al Gore consegue articular com grandes corporações movimentos que seriam impossíveis via política. É curioso que um ex-presidente tenha aprendido em todos esses anos, como ele nos explica, que a solução nunca virá dos políticos, mas de nós mesmos. Algo óbvio depois que você passa dos 30 anos de idade, mas que para um político talvez exige mais de 60.

Didático, ligeiramente divertido e extremamente espalhafatoso, este é um panfleto publicitário da melhor qualidade. Não tão boa quanto as propagandas soviéticas, mas, ei, ela consegue te convencer até de que os dados apresentados no filme estão certos ou muito próximos da realidade. Quem consegue uma proeza dessas hoje em dia, com a internet…

★★★☆☆ An Inconvenient Sequel: Truth to Power. USA, 2017. Direction: Bonni Cohen. Jon Shenk. Script: Al Gore. Cast: Al Gore (Himself). George W. Bush (Himself). John Kerry (Himself). Marco Krapels (Himself). Angela Merkel (Herself). Barack Obama (Himself). Vladimir Putin (Himself). Donald J. Trump (Himself). Tom Rielly (Himself). Edition: Don Bernier. Colin Nusbaum. Cinematography: Jon Shenk. Soundtrack: Jeff Beal. Runtime: 98. Ratio: 1.85 : 1. Gender: Documentary. Release: 9 November 2017. Category: movies Tags: cabine mostrasp

Share on: Facebook | Twitter | Google