Umrika

Oct 28, 2016

Imagens

Este é um drama bem construído que envolve uma família indiana e as dores da separação e da ilusão entre eles. Às vezes apela demais para a emoção (principalmente no final), mas em sua maioria é uma trama bem desenvolvida e que merece o título de um indie que não parece indie, pois foge das fórmulas mais comuns e acaba caindo em um pesado sonho indiano pautado no americano. Ou deveria dizer umrikaniano?

A história gira em torno de Lalu, irmão mais novo de uma família de um vilarejo onde o irmão mais velho sai em busca de uma vida melhor nos EUA. Primeiramente fonte de saudades incuráveis da mãe, e sem resposta por muito tempo, eventualmente eles começam a receber correspondência, no que parecem cartas de um Marco Polo ao contrário, descrevendo as maravilhas de um mundo à frente do vilarejo onde cresceram, embora ninguém tenha muita certeza de por que.

Evitando usar a Índia e a cultura indiana como muleta para se vender em festivais mundo afora, o diretor e roteirista Prashant Nair prefere a tarefa mais difícil de fazer o espectador se interessar pelo pequeno Lalu, que se torna um jovem responsável e decide ir atrás do irmão para descobrir o que está acontecendo com ele, onde necessariamente ele irá trilhar seus mesmos caminhos. A narrativa não tem pressa, mas mantém sempre um ritmo de descobertas que mantém o espectador atento. Tudo é novo para Lalu a partir do momento que ele sai do vilarejo de onde nunca havia saído, mas ele aprende rapidamente o que deve ser feito, em um ótimo exemplo de quando a necessidade é a mãe de qualquer força de vontade.

A direção de Nair é competente, utilizando construções de cenas tradicionais para dramas, como a filmagem em primeira pessoa, a transposição de personagens em diferentes campos, o uso da luz para significar esperança (ou a falta de, note como quando Lalu se aproxima da parte obscura de suas entregas informais a luz começa a fazer falta no ambiente). Metalinguístico, o filme utiliza a tela umas duas ou três vezes para estabelecer a fixação indiana pelo Cinema (seja ele clássico, noveleiro ou de ação, como em uma sequência impagável de Indiana Jones e o Templo da Perdição).

Wanderley Caloni, 2016-10-28. Umrika. Umrika (India, 2015). Dirigido por Prashant Nair. Escrito por Prashant Nair. Com Aashish Bhatt (Arun), Uplaksh Kochhar (Balwinder), Megh Pant (Bhima), Mayur More (Delivery Boy), Pankaj Chaudhary (Deliver Boy #1), Mukesh Agrohari (Farmer #1), Pramod Pathak (Father), Shreyas Pandit (Gopi), Rajesh Singh (Inspector at Docks #1). IMDB.