World War Z

Sep 23, 2014

Imagens

Mais um filme de zumbi? Sim e não. World War Z está mais para o primeiro filme empolgante de fato sobre uma epidemia mundial. Estrelado por Brad Pitt, esse filme de catástrofe consegue chamar a atenção quase todo o momento, seja para seu lado bom ou ruim.

Tudo começa na cidade onde Gerry Lane (Brad Pitt) e sua família moram, onde vemos pela primeira vez em uma sequência incrivelmente tensa e agitada o ataque de humanos aparentemente inconscientes, mas com um impulso incontrolável de morder as outras pessoas (sim, zumbis). Uma simples mordida e 12 segundos são o suficiente para levar a vítima igualmente à loucura, então fica muito fácil imaginar o efeito cascata que isso gera em uma cidade grande.

Resgatado por seu amigo do exército não por compaixão, mas antes por convocação, Gerry se vê na obrigação de ajudar para manter sua família nos navios militares que servem de abrigo. Tudo acontece muito rápido e os detalhes são pescados aqui e ali. Sabemos, por exemplo, que a grande esperança dessa gente reside em um cientista de 20 e poucos anos, o que pode soar absurdo, mas soa passável depois de vermos o ataque inicial. Os mais ágeis sobreviverão.

Porém, em uma situação como essas, não basta apenas ser ágil e ter conhecimento. É preciso ter a cabeça no lugar. E é isso que Gerry parece se tornar para nós – desesperados do outro lado da tela.

Por falar em desespero, o medo de ser pego exerce um controle muito efetivo em quase todas as cenas movimentadas. Faz-nos até esquecer alguns tropeços em tanto realismo que o filme parece querer entregar (como um zumbi escondido em um avião, ou o timing certeiro de Gerry ao presenciar um segundo holocausto em terra santa). Nesse sentido, realismo e susto convergem para um sentimento de urgência ritmado entre cada novo cenário.

Não se esquecendo de homenagear um dos grandes games que usam ciência como pano de fundo do surgimento de mortos-vivos – sim, estou falando de Half-Life – a sequência final é a mais equilibrada, pois a mensagem já foi dada: o perigo de extinção é imenso, e não há saída fácil.

Nesse sentido, World War Z consegue visualmente aplicar bem uma mensagem importante para todos nós: pandemias podem parecer invisíveis, mas o estrago que fazem tem o potencial de ser irreversível.

Wanderley Caloni, 2014-09-23. World War Z. World War Z (USA, 2013). Dirigido por Marc Forster. Escrito por Matthew Michael Carnahan, Drew Goddard, Damon Lindelof, Matthew Michael Carnahan, J. Michael Straczynski, Max Brooks. Com Brad Pitt, Mireille Enos, Daniella Kertesz, James Badge Dale, Ludi Boeken, Matthew Fox, Fana Mokoena, David Morse, Elyes Gabel. IMDB.